quarta-feira, 24 de junho de 2009

Cura

Não há ressurreição,
sem a morte.
Não há morte,
sem sangue.
Não há sangue,
sem que se tenha a ferida.
Não há ferida,
sem o aço da espada.
Não há a espada,
sem uma mão que a empunhe.
Não há uma mão violenta,
sem que haja o homem.
Se curarmos o homem
não teremos a espada.
Em seu caminho encontrarás flores,
mas também pedras e espinhos
a provocarem feridas,
a derramarem sangue,
a causarem morte,
mas não será pela espada
e nem pelo homem
que encontrarás
a ressurreição,
será pelo teu caminhar.

Nenhum comentário: