domingo, 14 de junho de 2009

Antagônicos

Mais sangue derramado.
Cada vez que tento
tirar esta espada,
que tenho cravada
em meu peito,
a ferida sangra.
Não devo mais mexer nela,
devo deixá-la ali,
cravada....,
... funda,
provocando dor,
talvez assim,
me acostume com ela.
Devo ser, agora,
como uma carcaça ambulante,
andando sem rumo,
vagando no incerto,
governando minha solidão,
reinando absoluto sobre o nada
e tendo somente o nada
como companhia.
Vivi minha vida
em um mundo de sonhos,
de meus sonhos,
sempre esperando uma mudança,
aguardando o que nunca viria.
E você vivia no seu mundo,
de realidades,
das suas realidades,
achando que tudo era normal.
A realidade é dura demais,
e os sonhos não podem ser eternos.
Não poderíamos viver juntos,
só conflitos poderiam surgir.
Sol e lua não se encontram,
podem até estar juntos no céu
em alguns períodos,
mas juntos, nunca.

Nenhum comentário: