sábado, 1 de agosto de 2009

Preenchimento

Calmamente
sopraste
em meus ouvidos
teu nome,
e me deixei levar
por esta brisa.
Palavras,
segredos,
nada mais
faz sentido,
tudo é cercado
de brumas,
de silêncios,
de mistérios.
Neste momento
as palavras
não possuem
mais nexo,
só essência,
essência
da vida.
O coração
nos diz
o que quer,
e agora fala
de um vazio
que precisa
ser preenchido,
com ou sem
fundamento,
com ou sem
razão.

Nenhum comentário: