quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Amo-te.

Amei-te ontem,
Amo-te hoje,
Amar-te-ei sempre,
simplesmente assim,
te amo.
E de tanto te amar assim,
encontrei o amor total,
e deste amor total
fez-se o encontro mais lindo,
pronto, em teu corpo
me fiz presente,
e você, se fez
mais presente ainda
no meu.
Nos demos com tal encanto
que agora está difícil
nos separar-nos.
A saudade, de nós,
nos mata a todo instante.
A distância que nos separa
e rompida com um simples, alô.
Basta esta palavrinha
para nos colocar frente a frente,
um olhando no olho do outro,
um tocando no outro.
Vivemos,
como se estivéssemos sempre
cruzando pontes,
ou em um mercado persa
nos aromas das especiarias.
Embriagados de aromas
e distâncias.

Um comentário:

Ava disse...

Voce falo do amor, sobre o amor, com amor...

Sentimento forte e belo, que nos faz inspirados assim...


Falar de amor, é sempre uma forma de extravazar o que nos sufoca...

Delicioso, mas sufocante...rs




A calcinha bege é um aviso..

Fechada para balanço...rsrsrs

Adorei seu comts...rsrs