quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Inspiração

Hoje, se quisesse,
escrever um poema,
seria um poema louco,
pois rouco estou
de tanto calar.
Não vem a palavra final,
a que rimará em cada frase,
ficando o poema aberto,
como frase não acabada.
A agonia tenta me guiar
a escolher a palavras certas,
as que deveria usar,
mas o óbvio
está estampado no papel,
hoje minhas palavras
não querem falar.
Assim,
a voz emudece,
a tinta seca,
o papel amarela
com o tempo
e nenhuma palavra sai
para formar
uma poesia banal.

Nenhum comentário: