segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Para Onde foi?

Para onde será que foram
todos os meus gritos,
e gemidos.
Todos os meus prazeres
e as minhas dores.
E também os teus,
e as tuas.
O ruído da chuva,
que cai de meus olhos,
a tudo embaralha
em minha cabeça.
Olho para você
e recebo o peso
que carregas
nas costas.
Em nosso caminho
as sombras rodeiam.
As noites são
sem luas ou estrelas,
o caminho é árduo
e cheio de obstáculos.
Áspera,
vai se tornado tua pele
não há mais o prazer
do passeio da mão
pelo corpo teu.
Endureceste brutalmente,
da porta para dentro.
O inverno chegou cedo demais
e o frio intenso só nos assola.
Não há mais o sol,
minhas asas estão congelando
e não posso mais voar
nossos sonhos.
Sou passarinho morto
sem mais a árvore
para pousar.

Um comentário:

R disse...

Após um rigoroso inverno, eis que surge a primavera, portanto aguarde...de repente vão surgir os primeiros botões, as vezes ainda ocultos na fina camada de gelo...mas preste bastante atenção...pois eles estarão lá!