domingo, 16 de agosto de 2009

Não mais

Vou fechar
as portas e as janelas.
Não quero
que os ventos levem mais
as minhas palavras
ao teu ouvido,
já que você não mais
está aqui para ouvi-las.
Hoje, não mais
olharei para a lua,
olharei só
para as estrelas,
e os cometas
que rasgam o céu,
assim como
minha alma
está rasgada
com tua ausência.
Hoje, não mais
olharei os pescadores,
que partem
com seus barcos
e velas enfunadas,
olharei somente
as ondas
que batem nas pedras
tentando de todas as formas
ocuparem o seu lugar.
Hoje, deixei de ser eu
para ser somente sombra,
vestígio,
resquício do que fui
um dia.
Hoje, sou alma perdida,
luz sem sombra,
pássaro sem árvore,
fruto sem semente.
Hoje, sou resto
do que ontem fui.

Nenhum comentário: