sábado, 9 de agosto de 2008

Frio

Penso em você por noites, e dias a fio.
E na solidão da madrugada
meu corpo, e minha alma tremem de frio.
Não consigo te esquecer, só quero te ver.
Vem, envolve-me em teus braços,
deixe-me ali, esquecido,
e volta a me aquecer.

2 comentários:

Tânia Saj disse...

Older

Que surpresa mais feliz conhecer este teu outro lado, tão observador, tão sensível.
Não é todo mundo que tem esta capacidade de expressar com tanta realidade as emoções e sentimentos do cotidiano.
Adorei e me identifiquei!
Frequentarei com assiduidade seu blog!
Parabéns!
beijão

Sonia Novaes disse...

Older

Que bela surpresa,amigo.
És além de um grande amigo,um grande poeta...
Parabéns.
Abços