quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Soneto

Não quero falar de meu amor,
Se dele já tanto falei.
E já nem sei
Se o que falei, repetirei.

Não quero falar do que sinto,
Se tanto senti sem fundamento
E agora para mim minto
Tentando esquecer o esquecimento.

Não quero amar demais,
Como a tempos atrás,
O sofrer faz parte desta procura
e acaba quase levando-me a loucura.

Não quero mais, e nem demais.
Agora, na medida certa
Deixarei meu sonho capaz
De passear na trilha incerta.

Nenhum comentário: