segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Água Corrente.

Meus sentimentos são como água corrente
de um rio tortuoso,
leva-me a cantar cantos nunca ouvidos.
Este seu caminhar,
faz graça em meu peito,
faz arder o brilho da chama ardente
neste peito descrente.
Sou como folha de outono,
caída de uma árvore
em um parque abandonado, solitário.
Quando estou contigo
tudo é fogo, tudo arde,
não há nada que extingue
ou farte em meu corpo,
mas também há a paz.
Junto a ti sou como lagoa calma,
reflito o brilho de uma lua cheia,
deixo pratear minhas águas.
Sou brisa leve
a roçar levemente as folhas dos campos.
Ouço os teus passos, estendo-te os braços,
sinto seu perfume a encher meus pulmões,
a desanuviar meus desalentos, os meus cansaços.
Tudo é divino e santo, nada é pecado,
o mundo passa a ser um jardim de encantos.
Prende-me todo amor, prende-me bem,
deixa-me arder em teu corpo
e entrega-me ao sonho justo.

Um comentário:

Marlene disse...

Poxa vida meu amigo quanta inspiração! Ah o amor o mais doce dos venenos ...
Não ouso comentar tudo Older, mas é bonito ver um homem falar com tanta paixão e fé!
Beijos e parabéns