sábado, 31 de janeiro de 2009

Acordando

O que fazer
para combater
esta vontade doida
de te ver.

Não quer mais
viver assim,
com você tão longe
de mim.

Vem meu amor,
vem me aquecer
com seu calor.
Que só você sabe ter.

Vem para braços meus,
que neles tenho guardados
mil abraços seus,
escondidos, velados.

A minha vida,
que já achava perdida,
que já estava esquecida,
foi por você sacudida.

Você acordou em mim um gigante
que agora urra, que agora geme,
de modo asfixiante
que chora por algo que teme.

E agora, daqui por diante
te desejo, te quero,
te amo, te espero.
Te quero por uma vida
e só não por um instante.

Nenhum comentário: