segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Luz

Agora só quero colher os lírios nos campos,
com calma e serenidade.
Não quero amores aventureiros
e nem que ventos que me levem para novos ares.
Tolhe-me as asas.
Apara-me os sonho.
Deixe-me não mais voar tão alto.
Faça com que fique sempre junto a ti.
Amor, meu amor.
Prende-me em tua jaula da carne,
aprisiona-me em teu peito,
condena-me a tua prisão perpétua.
Não me deixe mais sozinho
perdido neste mundo escuro e tenebroso
da insegurança e do desamor.
Faz de mim um ser de tua luz,
leva-me contigo por teu caminho
e tentarei trilhá-lo da melhor maneira possível.
Sê minha voz e meu viver.
Ordena-me nas tuas ordens.
Faz-me teu rei e teu escravo,
assim tornar-me-á feliz
para sempre.

Um comentário:

Boechat disse...

Jamais poderás trilhar o mesmo caminho que alguem, terias que andar bem junto, agarrado a este ser...e a este sonho, que não teu sonho, e a este sentimento, que não é seu...e isso não será possivel, nunca será, por mais que queiras, pois você é você e ela é ela, e sempre será, pra sempre será...