sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Insegurança

Minha princesa,
fruto do imaginário,
razão dos meus poemas,
a ti dedico-me de corpo e alma
por toda uma vida
seja ela de que tamanho for.
A ti entrego-me completamente
rompendo todos os tabus,
contra tudo e contra todos.
A ti só te posso oferecer meus sonhos.
A ti só te posso oferecer minha dor.
Nada mais tenho a te dar além de
meus sonhos, que são frágeis
como meu coração.
Minha querida não se iluda comigo.
Deixe-me só, com minhas ilusões.
Não embarque nesta viagem sem destino certo,
sem paradas para descanso.
Segue teu caminho,
trilha tua estrada que é bela.
Meu caminho é de desamparo,
de desassossego.
Tua estrada é cheia de luz
e tomei-lhe um pouco dela,
emprestado.
Meu caminho é enevoado
com muitas curvas perigosas.
Tu tens uma vida inteira pela frente
não queira dividi-la comigo
só terás insegurança.
Se quiseres ser minha,
somente minha,
esta coisinha toda linda
que ninguém mais poderá ter.
Prometo me entregar por inteiro
e nada mais existirá,
em mim,
além de você.

Nenhum comentário: