terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Posições

Que lugar ocupo em sua escala de sentimentos.
Um segundo, as vezes um primeiro,
Talvez um quarto ou então um terceiro,
Talvez seja só uma agulha, perdida em um palheiro.

Existem tanta preocupações na sua vida
Que certas coisas estão de lado.
Tem família e amigos
Que posso passar ao largo.

Não há a importância de se falar nisto comigo
Todos sabem o quanto importante és
Para os outros talvez você já o tenha dito
já é sabido de frente e de través.

Tantas vezes te falei e minhas palavras foram perdidas.
Onde você as guardou, se é que guardou, ou simplesmente as ignorou.
Agora o tempo perdido não volta mais, é hora banida
Estou saindo, regressando de onde você me deixou.

Lá atrás, na minha vida, perdido
Minha lágrimas enxuguei.
Olhei a lua, caído,
Sorri e levantei.

Novo dia irá surgir, novas forças me ajudarão.
Segui então novo caminho incerto.
Minhas pernas quase não agüentarão
E seguirei, buscando um sol, mais perto.


Pode ser de Ícaro um sonho
E minha cera derreter
Voarei tão alto comigo
Que não posso arrepender.

Vás, segue também teu caminho
Deixa-me lá atrás, onde tanto tempo faz.
Não atente explicar ou justificar um bocadinho.
Passou, foi-se, não volta mais.

Nada surgirá de mim, ficarei calado
Aguardarei a nova lua chegar,
E em meu caminho iluminado
Correrei, como nunca corri, para a lua abraçar.

Nenhum comentário: