segunda-feira, 19 de maio de 2014

A rosa



Cuidas tu da rosa que chora,
por não ter mais o teu  amor.
Logo, logo chega a aurora,
e com ela vem  a dor.

Vou  me lançar pelos campos,
buscando um pouco de chuva.
Em um lugar eu acampo,
fugindo da força bruta.

Enquanto a rosa não para,
das suas lágrimas derramar.
O olho nem vê, separa,
o que se tem para gostar.

A rosa não tem mais cor,
e seu cheiro já perdeu.
A culpa foi desta dor,
que a rosa acometeu.

Para amanhã o prazer,
de buscar por coisas novas.
Para a flor que morreu,
ficou jogada em cova.


Um comentário:

brisonmattos disse...

TE ACHO 9,5...quase 10