sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Esmola





Não desejo uma esmola,
Pelo passado  passado.
Não desejo uma esmola,
pelo passado perdido.

Uma esmola só é dada,
Por piedade ou compaixão.
Uma esmola não é nada,
Comparada a precisão.

Já implorei uma esmola
E ela não me atendeu
Ao que precisava na hora
E a vontade nela morreu

Guarde, pois, a sua esmola,
E dela faça bom proveito.
Afinal o que não consola
Só mais mal ao peito.

Minha fome eu agüento,
E minha sede também.
Já passei tanto tormento,
Este é só mais um que vem.

Um dia não mais precisarei,
De algumas esmolas alheias.
Meu próprio tesouro terei,
Que encherão a mesa da ceia.

E esmolas distribuirei,
E ela nunca acabaria.
Já então seria rei,
Em meu reino de fantasia.

Um comentário:

Aninha disse...

Bela Poesia!!!