domingo, 2 de setembro de 2012

Alto Preço





Adormeci, deitado no ilusório,
e não vi a vida passar.
O preço a pagar é compulsório,
não há como negar.

Após tantos planos sonhados,
O futuro não veio.
Fomos de todo arrebatados,
A dor nos acertou em cheio.

Nós dois tivemos doces momentos,
Fizemos muitos planos na memória.
Durante um longo curto tempo,
Modificamos a nossa história.

Passamos, de dois a um só,
De abandonados, a plenos.
A vida virou um mundo se dó,
E as emoções levadas ao extremo.

Nos momentos de encantamentos,
Tudo a volta sumia.
Paralisava nosso momento,
Só o nosso corpo se movia.

Nenhum comentário: