terça-feira, 4 de setembro de 2012

Cacos




Não tenho o que escrever,
Por mais que puxe na cabeça.
O prazer se foi com você,
E só restou a tristeza.

O deserto se formou,
Em um lugar antes plácido.
O imaginário se transformou,
Tudo a volta ficou flácido.

A idéia ficou bruta,
Como gelo em cordilheira.
Perdi de vez a luta,
De formar a frase inteira.

É a hora de recolher,
Os cacos perdidos no tempo.
Não há como saber,
Se os juntar, em qual momento.

Um comentário:

brisonmattos disse...

não fica triste
São escolhas que fizemos
de tanto botar dedo em riste
sem reclamar da vida, teremos.