sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Escrevendo




Escrevo a descrever,
A tristeza do peito,
Que não dá para perceber.

Escrevo na solidão,
Dos longos dias,
Em que não há satisfação.

Escrevo para aliviar,
O aperto no peito.
Da mão a me sufocar.

Escrevo por não saber,
O que fazer com o novo,
que ainda vai nascer.

Escrevo para esquecer,
o que não pode ser apagado,
o que não para de doer.

Escrevo por escrever,
Vou gritando nas palavras
O quanto amo você.

Nenhum comentário: