sábado, 11 de julho de 2009

Chuva

Lá fora chove,
chove muito.
As águas levam tudo
que eu tenho.
Até minha palavras
elas tentam afogar.
Ensopado estou,
até a alma,
minhas palavras
não conseguem falar
o que desejo.
Busco ar,
desesperadamente,
e cada vez fica mais difícil.
Bóiam a minha volta
os meus mais simples desejos,
e são levados pela correnteza.
Despeço-me deles
sem poder salvá-los,
as lágrimas,
confundidas com a chuva
nem são mais notadas,
nem sei se vale a pena
ainda derramá-las.
Mas elas caem,
vendo tudo ser levado
por água abaixo.

Nenhum comentário: