sábado, 2 de maio de 2009

Ciúmes

Será que esta é a vida que quero,
A vida que tanto busco,
A vida que tanto sonho,
Viver eternamente desconfiado
De mim, de você, de todos.
Andando sobressaltado na rua,
Achando que a todo momento vai acontecer
De você voar para outro lugar.
Basta você não estar por perto
Que o ciúme bate no peito,
Agride, machuca, arranha toda a confiança.
Ele veio conosco, de nossas vidas,
Tenta de qualquer maneira
fazer parte dela de novo.
Tento colocá-lo de lado,
Escondê-lo sob o tapete,
Mas ele está lá, atazanando meu juízo.
Fraquejo por falta de confiança
em mim ou em você.
Ciúme danado, vá perturbar outro,
Não queira abalar
Aquilo que tento construir
com tanto carinho
e que me faz tão bem.

Nenhum comentário: