segunda-feira, 6 de abril de 2009

Tantas coisas

Têm tantas coisas acontecendo
que não sei por onde começar.
Se falo de meu amor por você
ou se falo da saudade que sinto.
Não sei se falo de minha insegurança
ou da insegurança tua.
São tantas coisas a mexer conosco
que não sei por onde começar.
A todo momento nos confessamos,
Nos declaramos.
Espalhamos pelo chão
todo nosso amor.
Olhamos,
Um nos olhos do outro,
E choramos nossas possíveis perdas.
Morremos de véspera,
sem nunca termos morrido.
Nos entregamos com medo
E com vontade,
Com tanta vontade,
Que acho que isto
é que nos causa tanto medo.
Medo de perdermos
Um sonho.
Medo de perdemos
nossos sonhos.

Nenhum comentário: