quarta-feira, 22 de abril de 2009

Janelas

Abro minhas duas janelas para a rua
e te vejo passar,
ao longe,
longe de mim.
Passeias despreocupada com a vida,
sem temores,
sem maldades.
De longe
continuo a te observar
Seu caminhar é leve
faz o tempo a sua volta paralisar.
Tens um, não bem o quê,
de domínio,
de realeza,
de rainha,
de princesa.
És um sonho
a andar pela vida,
um sonho meu,
a andar
pela minha vida.

Nenhum comentário: