sexta-feira, 17 de abril de 2009

É Tarde

É tarde.
E ela não vem.

O dia está no fim,
só a solidão me acompanha.
E ela não vem.

Lanço meus olhos na estrada
Na esperança
de ainda vê-la chegando,
Mas ela não vem.

Recolho-me a casa,
Acendo as luzes,
para servirem de farol
iluminando sua chegada,
mas ela não vem.

Vou dormir.
Espero ainda por você.
Quando chegar, amor, dorme em paz ,
sua comida ainda estará quente sobre a lareira,
não se preocupes estarei zelando por você, sempre.

Um comentário:

R. Boechat disse...

Esse esperar constante por aquele que não mais virá é o veneno que tanto mal nos causa...vai nos matando a doses lentas...até que um dia chega um antídoto que nos tira dessa letargia mortal e nos faz enxergar a vida novamente