quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Teus Lábios





Se os lábios teus,
Venenos destilassem.
Os colaria aos meus,
Para que enfim eternizasse.

Não resistiria,
Nem por um segundo.
Não hesitaria,
Em morrer como moribundo.

Dos lábios teus,
Brota o mais doce mel.
São como camafeus,
Que me levam ao céu.

Que poderia impedir,
Que após um longo beijo,
Iria eu sentir partir,
No sabor de meu desejo.

Findaria minha existência,
Com meus lábios sorrindo.
Não teria mais esta aparência,
Seria enfim um anjo subindo.

Ou quiçá por desventura,
Iria descer aos infindos.
E mesmo no calor da clausura,
Estaria seus lábios sentindo.

Teus lábios são jóias encontradas,
Que poucos os tem no prazer.
È tua boca nacarada,
Como só Deus poderia fazer.

Teus lábios são meu encanto,
Que não os posso alcançar.
Só não derramo meu pranto,
Pois não os poderia enxergar.

Quem dera um dia pudesse,
De leve neles tocar.
Para que minha boca  soubesse,
O que é o amor encontrar.

2 comentários:

brisonmattos disse...

O que é o amor encontrar
Saberias entao afinal
Grandeza maior não há eu de achar
Na sua poesia, meu canal.

Muito linda sua poesia.

Aninha disse...

LINDOOOOO!!!!