quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Sozinho




Prendi o meu amor em meus braços,
Achando que o teria.
Perdi o meu amor aos pedaços,
De tanta força que eu fazia.

Respirava o teu ar,
Com total sofreguidão.
Queria em ti morar,
E alugar seu coração.

Descrevi em verso e prosa,
Todo o meu encanto.
Era um mundo cor de rosa,
Só eu não enxergava o quanto.

Do desejo fez-se o pavor,
Do amor um grande erro.
O frio domou o calor,
Na vida o desespero.

Amanhece sempre cinza,
Neste mundo de viver.
Na janela espero ainda,
Ver você aparecer.

O tempo vai passando,
E nada muda do lugar.
A pele vai se enrugando,
Os olhos ficam a fechar.

Minha amada partiu de vez,
Para nunca mais voltar.
O laço que se desfez,
Nunca voltará a laçar.

Ninguém ao meu lado quero,
Ocupando seu lugar.
Morrerei só, espero,
Para minha amada encontrar.

4 comentários:

brisonmattos disse...

vocẽ repetiu a poesia do dia 14. rs
Oia aki...Uma ótima quinta procê, tá?
Beeeeijos.

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

Linda poesia amo te ler!!
beijo

Tatiana Moreira disse...

Apesar de sofrida e sentida a sua poesia exprime o verdadeiro amor.
Que os dias tragam paz e força para o seu coração!
Um abraço carinhoso

brisonmattos disse...

nadou, nadou, pra morrer na praia