domingo, 21 de outubro de 2012

Na corda bamba



Não posso mais tua mão pegar,
E nem em meus abraços te envolver.
Não posso mais teu nome chamar,
E nem de longe ficar a te ver.

A chama da esperança apagou,
O vazio tomou todo o ar.
O tempo o vento levou,
Teu beijo se fez secar.

Do céu, as portas fecharam,
o sólido, sem nexo, sobrou.
As promessa não eclodiram,
E mais uma vida se findou.

Andar, na bamba corda,
tendo que o equilíbrio manter.
Não ter a vida torta,
É o se resta fazer.

Quando um pedaço se vai,
Outro não nasce não.
Pelo buraco a vida esvai,
E leva junto o coração.

Um comentário:

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido amigo

É mesmo verdade...quando algo se rasga dentro de nós é dificil refazer de novo.

Um beijinho com carinho
Sonhadora