terça-feira, 23 de outubro de 2012

No amor ou na dor.





Não escrevo,
Nem inspiro.
Só desejo,
O que respiro.

Se a emoção comove,
Nada posso fazer.
É ela quem me move,
Até o dia d’eu morrer.

Chorar é um sinal,
Do que viveu o coração.
De que não houve final,
Para tamanha  emoção.

Não distribuo dor,
nem tampouco sofrimento.
Só espalho um pouco do amor,
Que possui meu pensamento.

Me desculpem pelo fato,
De passar alguma emoção.
Seja nas linhas de que falo,
Ou nas voz de uma canção.

Da forma que for,
Viva-as sem preconceito.
No amor ou na dor,
Viva-as no peito.

2 comentários:

Renata Boechat disse...

Vivamos pois!

brisonmattos disse...

é verdade. rs. Lindíssima poesia, viu?