domingo, 28 de outubro de 2012

Me Amando





No abismo onde o passado dorme
A ressurreição é pretendida.
Que a paz a mim transforme
Que o amor não tenha medida.

As sombras irão embora
O sol voltará a brilhar.
Existe um mundo lá fora
Esperando para desbravar.

O caos e a decadência
Serão fundos enterrados.
A vida que era falência
Nascerá de bons bocados.

Silêncio e frio
Nunca mais existirão.
Será lavado por um rio
Todo claustro e solidão.

Não mais ali passarei
E quase que dali não saio.
Agora eu já sei
Me levantar quando eu caio.

Esteja onde estiver
Morarei no que possuir.
Haja o que houver
Ali irei residir.

Como nunca me amarei
Mesmo que não tenha resposta.
Todas as fichas eu joguei
Neste jogo sem aposta.

Nenhum comentário: