terça-feira, 2 de outubro de 2012

Solidão



Quando o coração se cala,
Vai calando a emoção.
A solidão se instala,
E só vai sobrando o não.

O não dito calado,
No interior do peito amigo.
O não deixa mudado,
O sentimento no peito havido.

O não vindo no tempo,
Muda muito ao seu redor.
Até mesmo o frescor do vento,
Muda para muito pior.

A meu ver a solidão,
Nada mais é do que o coração
de tudo abrindo mão,
E para a vida dizendo não.

Solidão que mata.
Solidão que destrói.
Solidão que maltrata.
Solidão que corrói.

Solidão deveria morrer,
E nunca mais existir.
Solidão é fazer você,
Morrer sem ao menos sentir.

Um comentário:

brisonmattos disse...

Antes só, que com gente falsa com a gente.Belo dia para você.