sábado, 15 de novembro de 2008

Alma de Poeta

“...ninguém nunca entenderá de verdade o que se passa na alma de um poeta...”

Assim escreveu alguém algum dia,
mas poetas têm alma?
Uma alma completa
em todos os seus sentidos,
acho que não.
Acho que a alma de um poeta
é sempre remendada,
sempre falta um pedaço,
sempre terá de ser completada
com as almas que ele encontra
e lhe preenchem o coração.
A alma de um poeta
nunca poderás ser ou estar completa,
pois se assim acontecer
ele terá morrido,
terá se exaurido
em toda sua capacidade de voar
por outros sonhos além dos seus.
A alma de um poeta não foi feita
para ser compreendida ou explicada,
a alma de um poeta simplesmente existe
para fazê-lo viver as emoções de seus sonhos,
de todos eles até os mais impossíveis.
A alma de um poeta é livre e sempre será.
Ninguém, nunca, nem em tempo algum,
conseguirá aprisionar a alma de um poeta.
A alma de um poeta não nasceu
para ser colocada em grilhões
ou aprisionada em uma solitária cela
de carne e ossos,
ela nasceu livre e assim viverá,
livre, sonhando e sofrendo todas as dores
e as alegrias de seus sonhos.
A verdade que se passa na alma de um poeta
é a verdade de todos nós
com a diferença de que na alma de um poeta
estas verdades se livram dos preconceitos,
dos estigmas colocados pela sociedade,
e se dá o direito de sonhar
e colocar para fora, em um papel qualquer,
todos os seus sonhos
e dividi-los, sem vergonha,
com aqueles quem tenham também
vontade de sonhar
e voar seus sonhos.

Um comentário:

Boechat disse...

Feliz desse poeta, que tem sua alma livre e as palavras soltas,pra dizer o que quiser, colocar seus sonhos no papel, e assim poder compartilhá-los com o mundo...e feliz de mim mesma, por que não?...pois tenho a felicidade de poder participar desses sonhos!