terça-feira, 29 de julho de 2014

Há amores


Há amores desaparecidos,
e há os que nunca morrem.
Há os que deixam alguém ferido,
e há os deixam alguém que sofre.

Há os que estão presente,
e há os que estão  só do lado.
Há os que não são ausentes,
e há os que  são acabados.

Há os que sem eternos,
e há os que são passageiros.
Há os que são tão fraternos,
E há os que são tão ligeiros.

Há os que nos marcam,
e os que logo se vão.
Há os que são amarras,
e há os de ilusão.

Há os que são fanáticos,
e há os de confusão.
Há os que são lunáticos,
e há os de inspiração.

Há os que são uma arte,
E há os que são desenhos.
Há os que são de Marte,
E há os que são ferrenhos.

Há os de brincadeira,
e há os de confissão.
Há os que dão rasteiras,
e há os do coração.


Um comentário:

Tatiana Moreira disse...

Há amores que são para nos tornar uma pessoa cada vez melhor.
Há pessoas que chegam para agregar... Mas infelizmente há outros que usam do anonimato para destilar venenos por onde passa...
Dias ricos em paz e muita inspiração para o seu coração!