domingo, 13 de julho de 2014

Derradeira hora




Quando não houver quando,
E a hora derradeira chegar.
Estarei teu nome gritando,
Para não esquecer de te amar.

Será o fim da primavera,
envolto em brumas estarei.
Será o fim da espera,
E outro lugar conhecerei.

Falarei a quem encontrar,
Do tanto de amor que trago.
Se puder vou enviar,
Uma brisa em teu afago.

E muito longe do fim,
Sentado, a ti observo.
Olhando só para mim,
Com um sorriso fraterno.

E então apontarei,
A todos a minha volta.
Lá está de quem falei,
é meu amor e não importa.

Neste dia chuva não haverá,
e nem lamentações perdidas.
Somente um sol a brilhar,

A aquecer nossas vidas.

Nenhum comentário: