quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Sou ?

Não sou terra,
sou fogo,
sou água,
sou ar.
Não sou solidez
embora transpareça.
Sou fluido,
sou inconstante,
sou sonho.
Sou humano,
falho como todos.
Admito meus erros,
como poucos.
Não sou leão,
sou colibri,
não sou tubarão,
sou parati.
Não sou raiz,
sou semente,
levada pelo vento
disposta a brotar
onde pousar.
Sou mutante,
um ser intrigante
e as vezes fascinante.
Sou luz faiscante.
Não sou farol,
sou barco perdido
em um mar
de ilusões.

4 comentários:

Ariana disse...

Sou barco perdido em um mar de ilusões...

E quem não se sente assim quando percebe a falta de rumo, a falta de um Norte para seguir.
Bem reais os seus versos de hoje...
Parabéns pela inspiração!

Beijos e uma ótima quarta pra ti!

Wanderley Elian Lima disse...

Older deveríamos todos sermos mutantes, o radicalismo atrapalha o crescimento humano. Adorei o poema.
Abração

Rodrigo disse...

Olá!
Gostei do seu blog show, not°10 desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo
http://maximumforma.blogspot.com/

Tânia Saj disse...

Older
A semana passada eu era colibri, semente, inconstante....mas nada como um dia após o outro, para levantar, sacudir a poeira e se sentir um leão, um farol....ondas de auto-estima que vem e vão....
Mais uma linda poesia!