quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Para que vim?

Para que vim a vida?
Para vender ilusões,
para ofertar flores
e palavras,
para sangrar os corações,
o teu e o meu,
para que vim a vida?
Não tenho poderes,
Se os tivesse
parava as guerras,
as guerras não param,
elas seguem
destruindo o que se tem
dentro do peito.
Nas guerras
Os jardins são destruídos
e não mais haverá flores
e nem palavras para ofertar
a mulher que amo.
Guardarei algumas flores,
As colocarei em um altar,
regando-as todos os dias
para que não murchem
para quando te encontrar
de seus perfumes
ainda possas se encantar.
Para que vim a vida?
Para cuidar das flores?

Nenhum comentário: