quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Acordar

Não ousaria pensar
que sou alguém.
Sou insana mente,
colorindo mundos alheios,
semeando ilusões.
Sou sombra passageira,
a que não marca,
a que não surge na luz do sol.
Sou vaga lembrança
cheio de esperança
de que um dia,
tudo mude.
O corpo pensa que o amor
existe de fato,
com cumplicidade,
sem amarras,
a alma diz que não,
é só mais uma ilusão.
Meu coração está cheio de pegadas
de amores impossíveis,
sonhados, distantes,
que me fazem crer piamente
no improvável.
Quero acabar com minha dúvidas.
Preciso acordar,
a cor dar a minha vida.

3 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Older acordar a cor da vida é vivê-la plenamente. Sem medo de ser feliz.
Abraço

Ava disse...

As cores do arco-iris!

Cores variadas, porque a vida não pode ser uma cor só...

Várias nuances, que formam um colorido de vida...rs

Ah! e muito sol, para que as cores tenham mais brilho...

Beijos e carinhos...

Vera Costa disse...

Amigo querido, sempre leio seus poemas. É tão bom ter um amigo poeta...
Beijos