quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Envelhecendo

Não sou ninguém,
não sou nada além,
De um poeta perdido,
em seu tempo contido,
com o coração partido,
caminhando na sua emoção.
Não sou poeta,
Sou homem,
Que sonha o impossível,
Que viaja na idade,
Na velhice de seus pensamentos.
Meu rosto já está marcado,
Meus cabelos,
estão ficando brancos,
Meu corpo já mostra marcas
do cansaço da vida,
mas minha cabeça
ainda é menina,
ainda acredita
no inacreditável,
nos sonhos.
Não quero crescer,
quero só viver
esta fase eterna,
de cabeça menina,
sonhadora.
Quero ser um Peter Pan.
Pode meu corpo enrugar,
Pode minhas cãs se mostrar,
mas minha alma,
esta sempre jovem
será.

Nenhum comentário: