quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Vamos fugir


Vem comigo,
Vamos fugir.
Deixar tudo aquilo,
Que nos faz oprimir.

Um pequeno gesto,
E logo se vai.
O que sobra do resto,
O que não atrai.

Os ventos nos levam,
Por outros caminhos.
Os pés não carregam,
Os nossos espinhos.

Vestidos de sonhos,
Bordados em esperanças.
Assim eu suponho,
Seremos crianças.

Sem muita maldades,
A nos derrotar.
Somente a verdade,
Irá nos guiar.

Tão certos no tempo,
Que nunca existiu.
Só resta o alento,
De quem já sorriu.

Na fuga não feita,
No ardor do desejo.
E tudo se ajeita,
Na força de um beijo.

Um comentário:

brisonmattos disse...

Vamos não...Mas amei a poesia.