terça-feira, 19 de agosto de 2014

Dói Saudade




As vezes dá uma saudade,
Que não sei o que fazer.
De um tempo sem falsidade,
Em que era bom se viver.

Um tempo em que flores abriam,
Com o simples raiar do dia.
Um tempo que nos peitos fluíam,
Uma constante fantasia.

Sem mentiras, sem tormentos,
Era tudo muito bom.
Eram encontros e momentos,
De prazer no coração.

Ainda dói a saudade,
E cada vez mais profundo.
A tristeza de verdade,
Me arrasta para o fundo.

Me agarro na esperança,
Esperando suportar.
Que o tempo de bonança,
Ainda um dia vai voltar.





Um comentário:

brisonmattos disse...

ué...vocẽ não tinha a Lufeliz? cadê ela? Ela é que sempre ouvia essa música...busca ela aí dentro de você.