terça-feira, 11 de março de 2014

Presente



Aquilo que um dia foi  seu,
em outro amor não viverá.
Foi presente que Deus me deu,
e foi feito para guardar.

Mesmo que ande,
em outros cantos perdido.
Não haverá quem cante,
o canto que me deixou caído.

Para sempre me lembrarei,
de cada viagem feita.
Em cada quarto que deitei,
em cada cama desfeita.

Não se culpe se erramos,
em guardar o que era nosso.
Me senti como cigano,
tomando posse do que não posso.

A hora de devolver,
e deixar ficar no chão.
É para nunca esquecer,
deixar na mão o coração.


2 comentários:

brisonmattos disse...

essa sensação de abandono, cada vez que vc escreve coisas assim , dói.
E mesmo assim eu venho atras, vinha atrás.
Devo ser mesmo uma masoquista de mão cheia, com relação a você.

Um Certo Vestido Azul disse...

Presente,
Isso,
Foi um Presente sim!