segunda-feira, 10 de março de 2014

Poetando




Poetisa o poeta
Na poesia vadia
Sem pressa
de sentimento repleta.
Parte sem medo de errar,
Vai como quem parte no vento,
Como barco
levado pela corrente,
Cruzando mares,
Oceanos,
Buscando olhares,
Desenganos.
Sem saber onde vai chegar
Simplesmente se deixando levar
Pelo sentido do amor.
Carregado destas tintas rubras
Que anima e impulsiona a seguir,
Sabendo que vai doer,
Tentando fazer
Com que suas letras
emocionem a uma só pessoa
ou algumas delas
pois é esta emoção que ele vive.
Assim vai o poeta,
poetanto desiludido,
pensativo no mundo
que só existe no seu peito.
Nunca deixando de escrever
nem que seja uma linha,
uma palavra de descreva,
ou tente.
o que vive seu coração
plantado na mente,
que não mente,
vive somente.

Um comentário:

brisonmattos disse...

E não existe dom maior.Parabéns pela poesia. Eu não escrevo nada mas vivo poetanto por aí também.