sábado, 22 de março de 2014

Minha




Minha beleza . . .
És assim que te chamo.
És minha fraqueza,
Que eu tanto amo.

És puro desejo,
És muito querer.
Que eu só me vejo,
Beijando você.

És como bruma,
Que desce suave.
És como pluma,
Que aos poucos me abate.

És mais que magia,
És mais que amar.
És minha fantasia,
Que não posso encontrar.

Minha linda lembrança,
Que não vai morrer.
És como criança,
Só se faz crescer.

Que eu trago guardada,
No meio do peito.
E vem embalada,
Com laço, com beijo.

Nenhum comentário: