sexta-feira, 28 de março de 2014

Abandono




A poesia me abandonou,
foi passear outras bandas.
Acho que ela cansou,
de ver lágrimas tantas.

Ando cheio de espaço vazio,
coração recheado de oco.
Saudade é como estio,
preocupado por tão pouco.

A dor só me namora,
na vida não vejo guarida.
Coração tanto implora.
um pouco de paz na vida.

A alma embaçada,
a vista fica turva.
No corpo não há nada,
na vida só tem curva.

Quem eu sou?
Que vive no tempo perdido.
Vivendo de um sonho que passou,
mantendo amor escondido.




Nenhum comentário: