sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Vestido de sonhos



Está no armário guardado,
um certo anil vestido.
Aguardando que o imaginário,
volte a ser sentido.

Foram tantas danças loucas,
tantas andanças por prazer.
Que a vida parecia pouca,
pelo tanto a se viver.

Do sol ele foi a luz,
e também o brilho da lua.
Foi ao que aos olhos seduz,
e também a paz na amargura.

Flores nasceram ali,
para ainda mais enfeitar.
Era de um tempo sem partir,
de um momento de chegar.

O vestido anil ficou guardado,
pendurado em um canto.
O armário foi fechado,
sem trancar no entanto.

O sol voltará a raiar,
distribuindo luz e calor.
É o vestido anil que reinará,
espalhando seu amor.

E todos ficaremos felizes,
Com sua volta triunfal.
Não haverá mais deslizes,
Haverá um novo final.




Nenhum comentário: