terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Fotografias




Busco, em imagens antigas,
Conforto para a solidão.
Elas é que são minhas amigas,
e acalmam o coração.

O tempo busca o esquecido,
e o trás de novo para mim.
Sou de novo um ser vivido,
pintando o peito de carmim.

O que está guardado,
com tanto amor e carinho.
Se coloca do meu lado,
e se torna o meu vinho.

Pela janela vejo a rua,
silenciosa e movimentada.
No céu  só tem a lua,
e minha alma arrancada.

Prisioneiro do tempo,
nada mais posso fazer.
A não ser reviver os momentos,
do mais puro prazer.

Nas mãos deste velho menino,
as fotografias voam devagar.
E o destino, que  é bem ladino,
me conduz no seu sonhar.

E meu olhar fincado na beleza,
do que sempre será assim.
Confunde as minhas certezas,
e te trás de vez para mim.



Nenhum comentário: