sábado, 4 de janeiro de 2014

E Quando...






E quando...
duvida da vida,
por tanta ferida,
é dita maldita,
a saudade que fica,
pra te afogar

O olho...
olhando no longe,
além do horizonte,
no tempo de ontem,
sem tanto porém,
querendo chorar.

O doce...
vem feito açoite,
no meio da noite,
passando a foice,
forte como coice,
prá me machucar.

A paz...
que foi perdida,
com tanta partida,
só volta sem vinda,
se faz de vencida,
para descansar.

A vida...
que foi trazida,
é muito querida,
se faz assistida,
quase suicida,
querendo amar.

Um comentário:

brisonmattos disse...

a vida é um doce
que eu preparo todo dia
o mundo é uma maravilha
não tenho medo algum de morrer de diabete. Belo texto. Parabéns.