sábado, 18 de agosto de 2012

Saudades Dela




Ah que saudade dela,
Que andava pelas ruas.
Muito linda, muito bela,
Parecia uma escultura.

Com seu andar gracioso,
Só fazia me encantar.
A esperava ansioso,
Para com ela passear.

Foram tantos lindos lugares,
Praias, campos, montanhas.
Nosso amor estava nos ares,
Coisas de nossa artimanha.

Sorriamos feitos bobos,
Parecíamos duas crianças.
O amor nos deixa tolos,
Ele nos enche de esperanças.

Passou rápido este mundo,
Ou o vivemos intensamente.
De qualquer modo fomos fundo,
Fazíamos o que desse na mente.

A vida se dividiu,
Mesmo sem muito querer.
Nem sei quem foi que partiu,
Só sei que nos fez sofrer.

Hoje a saudade é o que há,
Habitando em peitos alheios.
A menina ainda está a passar,
E eu, somente fraseio.


2 comentários:

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

Por aqui tudo como sempre bem romântico e lindo!
beijo querido Older e bom sábado!!

Renata Boechat disse...

Pelo menos ficaram as lembranças...uma pena que não haja mais esperança...afinal, as praias, campos, montanhas, estão aí para serem vividos...quem sabe a moça ainda esteja esperando...talvez só baste uma vontade...talvez...