segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Morreu ontem meu amor.



Morreu ontem meu amor,
Vestido de um cinza radiante.
Sofreu com muito ardor,
No peito do teu amante.

Morreu ontem o meu amor,
Entre rosas e jasmins.
De vez sua boca calou,
Emudecendo um mundo em mim.

Morreu ontem meu amor,
Mas já não havia morrido?
Tinha não seu doutor,
Ele só tinha se escondido.

Meu amor morreu de silencio,
Meu amor morreu de solidão.
Meu amor morreu com consentimento,
Meu amor morreu no coração.

Meu amor estava cansado,
De tanto sofrimento.
De tanto sofrer calado,
Acabou no desalento.

Morreu ontem meu amor,
Deixando um mundo vazio.
Esteja ele onde for,
Fará parte de meu desvario.



Um comentário:

brisonmattos disse...

Parabéns pela poesia...muito bem feita... Parece até real porque o meu tb. Tirei um peso imenso das costas, esvaziei as gavetas, doei tudo, e agora posso recomeçar a partir de onde parei lá atrás, esquecendo de mim.Eu gostava tanto de mim antes...Ainda não sei o que houve. Mas daí apareceu alguém que na tentativa de me fazer companhia, só me pisava e me afundava. Com aquela pessoa me faltava o ar e eu geralmente me sentia incomodada...Mas não sei por quê, eu alé ficava.Renascí.