sábado, 21 de agosto de 2010

Partida

Estou me desprendendo de valores,
Estou me desprendendo dos temores.
Nada levarei comigo, nesta minha jornada afinal.
Só levarei o que sinto, me faça bem ou me faça mal.

Tesouros tenho no peito
Guardados com muito orgulho.
Nos olhos levo saudades,
Na boca levo murmúrio.

Na pele tenho teu cheiro.
Nas mãos, a mão tua.
Os braços alvissareiros
A alma despida, nua.

Parto sem medo,
Na estrada a trilhar.
Pode até haver um azedo,
Nesta busca da luz a brilhar.

Se me veres ao longe
Partindo sem despedidas.
Olhe para outro horizonte
Olhe para outras vidas.

A vida é sempre assim,
E nada a vai mudar.
Um dia cor de carmim,
Outro dia pedra de lagar.

Não será um aceno de mão,
E muito menos um dizer deixado no ar.
É preciso muito senão,
Para poder nos separar.

Aqui, ou em outro lugar,
Não sei bem onde ele será,
Teremos a hora de novo,
E então poderemos sonhar.


Um comentário:

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Espero que estejas bem.
Deixo beijinhos
Sonhadora