segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A Batalha.

Não quero te ver sofrer.
Não quero te ver chorar.
Busque outro amanhecer,
O meu já está por terminar.

Olhe para o outro lado,
E veja quem vem por lá.
Esqueça a minha imagem
Que esta, só te fez chorar.

Tente seguir a vida,
Sem muita mágoa no peito.
Sei que ficou ferida,
Mas vai curar com jeito.

Desculpe o sonho vendido,
Mas dele vivi também.
Também estou perdido,
Mas devemos seguir além.

Cada qual com sua dor,
Buscando um entender.
Como pode tanto amor
No tempo se perder.

O tempo é cruel
E mexe com nosso corpo.
Fica o gosto do fel
Na mudança do escopo.

Tem coisa que não dá para lutar,
Só nos resta tentar entender.
Só Deus para nos auxiliar,
E não deixar de vez se perder.

O corpo já cansado
De tanta batalha na vida.
Agora é só um retalho.
Agora é alma perdida.

Agora só me resta aceitar
O destino a mim dado.
Tentar a vida levar
No caminho que foi traçado.

Sorrir, sofrer,
E fingir que a vida é longa.
Tentar de tudo esquecer
E torcer por mais delonga.

Deixemos tudo como está,
Assim meio que adormecido.
E quando menos se esperar
Serei vaga lembrança, quase terei sumido.

Nenhum comentário: